Nós humanos temos uma longa história de relacionamento e admiraçāo com as árvores.  Talvez por sua presença ancestral (afinal considerando apenas as árvores com flor- angiospermas surgiram  há 160 milhões de anos), sua beleza e grandiosidade, e sua presença em nossa história de alimentaçāo, estar junto a um lugar bem arborizado sempre evoca muitas emoções.

DSC_0241-01-01-01

Em diferentes culturas, árvores ocupam um lugar central na mitologia. Sendo vista como a Árvore da Vida, Axis Mundi, ou um bosque sagrado, diversas espécies foram identificadas a partir de relatos históricos e mitológicos e permitem um melhor entendimento do papel das árvores na história humana. Para os antigos celtas e druidas, o Carvalho ocupa um papel central. Alias, seu nome Duir em celta pode estar relacionado ao nome dos druidas. A Oliveira também tem seu lugar nas religiões monoteístas, como Árvore Sagrada, apesar de alguns pesquisadores terem identificado esta versão da árvore da vida como sendo na verdade uma Figueira. Na África, o Baobá é visto como uma ponte entre os mundos pelos Yorubá.  IMG_20170404_074853_148

Árvores são importantes aliadas na promoção da saúde. Um estudo publicado em 2013 na American Journal of Preventive Medicine revelou uma correlaçāo entre a diminuiçāo no número de árvores e o aumento de doenças cardíacas e pulmonares. Estar na presença de árvores também pode reduzir os níveis de cortisol (o hormônio do stress) e aumentar a criatividade de acordo com outros estudos.

A pesar de todos os benefícios e encantos das árvores, o desmatamento e a perda de espécies e biodiversidade é um fato preocupante. Algumas estimativas indicam o desmatamento de 74-93 mil quilômetros quadrados acontecendo anualmente, o equivalente a 48 campos de futebol por minuto (https://www.worldwildlife.org/threats/deforestation).  Em alguns lugares, isso pode resultar em quase 8mil espécies de árvores sendo classificadas como em risco.

Deixo entāo o convite aqui a participar mais da natureza ao seu redor. A notar mais as árvores, seja perto de casa ou no caminho pro trabalho ou pra padaria. A respirar seu ar e sentir as diferentes texturas dos diferentes troncos. E se possível, a se envolver em atividades de plantio e reflorestamento, seja pessoalmente, seja contribuindo com outros projetos.

cropped-img_20150205_081227-effects.jpg

Algumas ONGs tem projetos muito interessantes de reflorestamento e recuperação no Brasil.

Apremavi- http://www.apremavi.org.br/

SOS Mata Atlântica- https://www.sosma.org.br/

Instituto Socio-Ambiental- https://www.socioambiental.org/pt-br

Ipomea- http://ipoema.org.br/

Alguns dos estudos citados:
Donovan, Geoffrey H. et al.
American Journal of Preventive Medicine , Volume 44 , Issue 2 , 139 – 145
Jiang, B., Chang, C., & Sullivan, W. C. (2014). A dose of nature: Tree cover, stress reduction, and gender differences. Landscape and Urban Planning, 132, 26-36. doi:10.1016/j.landurbplan.2014.08.005
Thompson, C. W., Roe, J., Aspinall, P., Mitchell, R., Clow, A., & Miller, D. (2012). More green space is linked to less stress in deprived communities: Evidence from salivary cortisol patterns. Landscape and Urban Planning, 105(3), 221-229. doi:10.1016/j.landurbplan.2011.12.015
Advertisements